Conecte-se conosco

Turismo e Negócios

A união que faz a força

Como meios de hospedagem podem criar boas parcerias locais.

Publicado

em

Foto: Adobe Stock

Seja por influência do mercado e/ou das mudanças nos hábitos das pessoas, que passaram a valorizar as experiências que podem ser proporcionadas pelas viagens, as parcerias locais ganharam força no setor, especialmente quando pensamos nos acordos que podem ser firmados pelos meios de hospedagem.

Nesse segmento, criar uma rede de parceiros locais é uma estratégia importante para ajudar no crescimento de um negócio. A colaboração entre empresas pode representar um diferencial competitivo, que também se reverte na conquista de novos clientes e no aumento de oportunidades a serem exploradas.

Além de permitir o desenvolvimento de campanhas conjuntas, meios de hospedagem que estabelecem parcerias locais conseguem, ainda, otimizar processos do dia a dia, reduzindo esforços e recursos aplicados na tarefa de proporcionar as melhores experiências aos turistas.

Exemplos de parceiros locais para meios de hospedagem: agências de turismo, bares e restaurantes, produtores rurais, fotógrafos, artistas, instrutores esportivos, guias turísticos, artesãos e spas.

LEIA TAMBÉM: Agências de turismo on-line (OTAs) e os pequenos negócios

Meios de hospedagem que firmam parcerias locais podem proporcionar diversas experiências aos hóspedes, considerando a demanda dos turistas em interagir com os destinos e experimentar vivências e sensações marcantes. Por exemplo, um city tour temático para conhecer locais turísticos e históricos; passeios de bicicleta ou a pé; jantares típicos, degustações de vinhos e outras experiências gastronômicas; visitas a ateliês e aulas de artesanato regionais; trilhas na natureza; passeios de caiaque e barco; aulas de esportes aquáticos, como surfe e mergulho; observação de animais e trilhas ecológicas; práticas de yoga, meditação e alongamento; colheita de frutas típicas; imersão na cultura local, como vivência em aldeias indígenas; aulas de culinária de pratos típicos; e visitas a produtores locais de queijos, doce e outros produtos locais.

Meios de hospedagem

6 passos para desenvolver boas parcerias locais

Seja por influência do mercado e/ou das mudanças nos hábitos das pessoas, que passaram a valorizar as experiências que podem ser proporcionadas pelas viagens, as parcerias locais ganharam força no setor, especialmente quando pensamos nos acordos que podem ser firmados pelos meios de hospedagem.

Nesse segmento, criar uma rede de parceiros locais é uma estratégia importante para ajudar no crescimento de um negócio. A colaboração entre empresas pode representar um diferencial competitivo, que também se reverte na conquista de novos clientes e no aumento de oportunidades a serem exploradas.

Além de permitir o desenvolvimento de campanhas conjuntas, meios de hospedagem que estabelecem parcerias locais conseguem, ainda, otimizar processos do dia a dia, reduzindo esforços e recursos aplicados na tarefa de proporcionar as melhores experiências aos turistas.

Exemplos de parceiros locais para meios de hospedagem: agências de turismo, bares e restaurantes, produtores rurais, fotógrafos, artistas, instrutores esportivos, guias turísticos, artesãos e spas.

LEIA TAMBÉM: Jornada que leva às melhores viagens

Meios de hospedagem que firmam parcerias locais podem proporcionar diversas experiências aos hóspedes, considerando a demanda dos turistas em interagir com os destinos e experimentar vivências e sensações marcantes. Por exemplo, um city tour temático para conhecer locais turísticos e históricos; passeios de bicicleta ou a pé; jantares típicos, degustações de vinhos e outras experiências gastronômicas; visitas a ateliês e aulas de artesanato regionais; trilhas na natureza; passeios de caiaque e barco; aulas de esportes aquáticos, como surfe e mergulho; observação de animais e trilhas ecológicas; práticas de yoga, meditação e alongamento; colheita de frutas típicas; imersão na cultura local, como vivência em aldeias indígenas; aulas de culinária de pratos típicos; e visitas a produtores locais de queijos, doce e outros produtos locais.

Serviços também podem ser oferecidos como resultado das parcerias locais. Alguns deles podem ser: oferta de experiência para grupos e/ou horários exclusivos, flexibilização de regras, facilitação de pagamento e programas de fidelização em conjunto.

É importante lembrar que as parcerias têm como foco o fato de que os clientes são os mesmos e a janela de oportunidade de atendimento é curta, considerando os tempos de estadia dos hóspedes.

Vantagens

Firmar parcerias com empresas e profissionais locais traz uma série de vantagens para os meios de hospedagem. Entre os resultados positivos que podem ser alcançados está a chance de melhorar os resultados operacionais e administrativos, reduzir custos, aumentar a confiabilidade por desenvolvimento de fornecedores, e ampliar a proximidade entre os elos da cadeia produtiva.

Vale lembrar que as experiências compartilhadas entre profissionais de áreas diferentes e complementares são muito relevantes para implementar melhorias que atendam às demandas dos hóspedes.

Acordos eficientes e estratégicos agregam mais valor aos serviços oferecidos e isso permite a competição com grandes redes de hotelaria. Uma parceria pode significar, por exemplo, a oferta de traslado de um terminal de transporte até o meio de hospedagem, o que representa uma composição de serviço mais atrativo aos clientes.

LEIA TAMBÉM: Gestão Ágil no turismo: como tornar as viagens mais flexíveis, divertidas e adaptáveis às necessidades de cada turista

Além disso, meios de hospedagem podem se apresentar como opções interessantes a novos públicos por meio de parcerias. Há, por exemplo, pessoas que preferem contratar a hospedagem e os serviços por conta própria. Nesses casos, elas costumam seguir indicações de receptivos e outros negócios locais.

Ter, então, uma rede de parceiros pode garantir a um hotel ou pousada um espaço entre as indicações solicitadas. Parcerias também expandem o público-alvo de um meio de hospedagem por conectarem um negócio a empresas com outros posicionamentos.

Campanhas e outras ações promocionais tendem a ser compartilhadas quando envolvem os parceiros locais. Ações conjuntas podem trazer benefícios como aumento do alcance da divulgação e redução dos investimentos com marketing, uma vez que os custos também são compartilhados.

Da mesma forma, acordos também podem estimular ações conjuntas de comercialização, como a concessão de descontos, benefícios na estadia ou em serviços dos parceiros, estratégias que ajudam a divulgar os negócios.

Além de aumentar o alcance de um meio de hospedagem, parcerias podem contribuir com a consolidação de uma marca. Um posicionamento consolidado no mercado garante bons frutos a um negócio, como, por exemplo, o fechamento de acordos vantajosos.

O posicionamento junto a outra marca bem colocada no mercado gera fortes associações com o empreendimento. A união com empresas locais fortalece a imagem, a cultura e a economia de uma localidade. Destinos com serviços que sejam mais bem articulados alcançam esse status de diferencial turístico e se destacam dos demais.

O posicionamento junto a outra marca bem colocada no mercado gera fortes associações com o empreendimento. Empresas locais que se aliam conseguem criar grupos de compras. Assim, produtos e serviços ficam mais acessíveis para os parceiros. Da mesma forma, grupos de investimentos também podem ser formados. Eles servem para que as empresas envolvidas no acordo modernizem e façam aquisições para os respectivos negócios.

LEIA TAMBÉM: Navegando rumo ao sucesso: estratégias para captar recursos financeiros no setor do turismo

Vale ressaltar que a união com empresas locais fortalece a imagem, a cultura e a economia de uma localidade. Destinos com serviços que sejam mais bem articulados alcançam esse status de diferencial turístico e se destacam dos demais

Passo a passo

Para trazer resultados positivos a um meio de hospedagem, parcerias exigem dedicação ao planejamento e alguns cuidados. Uma estratégia para acordos de parceria requer atenção a seis passos básicos.

O primeiro deles é que parcerias não devem ser firmadas sem que os objetivos do meio de hospedagem estejam definidos e bem claros. Um acordo entre parceiros locais visa aumentar o alcance da marca? Fidelizar clientes? Oferecer mais serviços? Ou, então, atrair mais hóspedes? Um planejamento que traga respostas a esses e outras perguntas garante que as ações não vão tomar rumos indesejados para os envolvidos na parceria.

Com os objetivos bem definidos, a próxima etapa diz respeito à escolha das empresas e profissionais que podem ser bons parceiros. Nessa escolha, é importante identificar negócios que tenham identidade e valores compatíveis. Fazer uma análise criteriosa sobre os potenciais parceiros impede que culturas e visões conflituosas prejudiquem os objetivos.

Ao escolher uma empresa parceira, é necessário também pensar naquilo que ela tem a oferecer na hora de executar o acordo. Mas, também é importante dar atenção aos produtos e/ou serviços que são oferecidos em troca aos parceiros. Fazer uma lista antes de negociar as trocas e determinar uma margem para concessões são atitudes aconselháveis. Outro aspecto importante é analisar a possibilidade de permutas, com a troca de serviços entre os parceiros.

Na hora de consolidar parcerias, é fundamental elaborar contratos que definam as responsabilidades das partes envolvidas. Limites estabelecidos por meio desses contratos impedem que as empresas parceiras interfiram em decisões estratégias umas das outras. Os contratos estabelecem, ainda, a segurança jurídica necessária para oferecer serviços turísticos.

LEIA TAMBÉM: Turismo de experiência: uma oportunidade de negócio

Ações e projetos consolidados por parcerias locais devem ter os resultados mensurados e analisados com critério. Para isso, é preciso entender se a operação atinge os objetivos estipulados pelas empresas envolvidas no acordo. Medir a satisfação dos clientes com os serviços ofertados também é uma maneira de mensurar se a parceria é bem-sucedida. É aconselhável estabelecer um período para avaliar se os acordos podem ser levados adiante ou não.

Uma parceria, seja ela temporária ou de longo prazo, requer dedicação para manter um bom relacionamento entre as partes envolvidas. Uma relação positiva tem impacto direto nos resultados, gera recomendações futuras, mesmo depois que a parceria se desfaz, e pode facilitar o fechamento de outros negócios.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.