Conecte-se conosco

Notícias

Aniversário de Belo Horizonte: roteiros pedagógicos contam a história da cidade

Um dos municípios brasileiros mais icônicos reserva parte da história do país, com atrações culturais, arquitetônicas, sociais e gastronômicas

Publicado

em

Museu Histórico Abílio Barreto - MHAB. Créditos: Ricardo Laf/PBH
Museu Histórico Abílio Barreto - MHAB. (Foto: Ricardo Laf/PBH)

No dia 12 de dezembro de 2023 a cidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, completa 126 anos. O município é uma das localidades que mais contam com atrações históricas e culturais no Brasil, reserva riquezas naturais e muito conhecimento que também contribuem no entendimento da história do país. Essas características estimulam viagens e roteiros pedagógicos, com saídas de estudantes de escolas de toda a região Sudeste, com o objetivo de aprender de maneira dinâmica, com riqueza em detalhes a partir da experiência.

LEIA TAMBÉM: Conheça 5 cabanas para praticar glamping próximo a Belo Horizonte

A Forma Conhecer, operação da Forma Turismo especializada em conteúdo pedagógico, destaca cinco roteiros em Belo Horizonte, que proporcionam aos estudantes a transformação do conteúdo teórico em prático, facilitando o entendimento e tornando a disciplina ainda mais atrativa.

Museu Histórico Abílio Barreto

A sede da antiga Fazenda do Leitão, uma casa construída em 1883 quando existia ainda o Arraial de Curral Del Rei, concentra documentos dos mais de cem anos de Belo Horizonte. Inaugurado em 1943, o MHAB preserva itens que contribuem para a compreensão da dinâmica sócio-histórica da cidade, sua finalidade é tornar público o acesso aos bens culturais preservados, fomentando a participação dos cidadãos na construção da memória e do conhecimento sobre a cidade. Na área externa do museu, estão os abrigos para o bonde elétrico e a locomotiva a vapor, o palco ao ar livre e os jardins.

Mercado Central

O Mercado Central foi inaugurado em 1929, com a proposta de unir em um único local, os produtos destinados ao abastecimento da jovial capital mineira. Atualmente, é considerado ponto mais popular de Belo Horizonte, comercializando diversos produtos, de horti fruti, granjas, pequenos animais e artesanatos. No espaço, os estudantes podem conhecer iguarias locais que ajudaram Belo Horizonte a se popularizar não somente no Brasil, mas também no mundo. O local se revela mais do que um simples comércio, mas aos alunos usarem seus sentidos e raciocínio lógico, como o cheiro, sabor e cores que se misturam num grande mosaico, além de ser um lugar ideal para compras de itens diversos.

LEIA TAMBÉM: Turismo e gastronomia em Belo Horizonte: Presidente da Belotur garante que a capital é a síntese da gastronomia mineira

Parque Municipal das Mangabeiras

Localizado ao pé da Serra do Curral, patrimônio cultural de Belo Horizonte, o Parque das Mangabeiras conserva em sua área de 2,4 milhões de m², 59 nascentes do Córrego da Serra, que integra a Bacia do Rio São Francisco. No Parque das Mangabeiras, o contato com a vegetação nativa é um dos principais atrativos, sendo representada por áreas de Cerrado e de Mata Atlântica. Árvores como o barbatimão, a candeia, a caviúna, a guabiroba, o murici e o pau-santo são comuns nas áreas de Cerrado.

Dentre as árvores típicas da Mata Atlântica podem ser citadas a copaíba, o guanandi o jacarandá, o jequitibá, o pau-jacaré e a quaresmeira. É o cenário ideal para os estudantes obterem conhecimento geografia, fauna, preservação do meio ambiente, entre outros aspectos culturais e naturais.

City Tour da Pampulha

O complexo arquitetônico da Pampulha é outra ótima alternativa para se aprofundar na rica história de Belo Horizonte. Foi planejado pelo então prefeito na época Juscelino Kubitschek, que a partir do crescimento da capital idealizou um projeto urbanístico revolucionário de estilo modernista. O conjunto da Pampulha, obra prima que leva a assinatura do arquiteto Oscar Niemayer, do paisagista Roberto Burle Marx e do artista Cândido Portinari, tornando-se em julho de 2016, Patrimônio Cultural da Humanidade, título emitido pela UNESCO. Por meio da visita, é possível resgatar a memória dos governos JK, bem como a história da cidade, dentro de uma perspectiva crítica e analítica possibilita a percepção de profundas transformações no âmbito político, econômico, social, cultural e ideológico pelos quais a cidade passou.

Praça da Liberdade

A icônica Praça da Liberdade foi inaugurada no final do século XIX, com a finalidade de sediar os prédios dos poderes de Minas Gerais. Atualmente, a Praça se apresenta como um conjunto arquitetônico com grandes edifícios e jardins, entre eles o Palácio da Liberdade, antiga sede do Governo de Minas Gerais. Desde 2010, a Praça da Liberdade se tornou um grande completo cultural, onde são concentradas uma série de salas de exposições. São inúmeras opções culturais no espaço e diversas opções de roteiros, com museus e centros culturais que são visitadas por diversos turistas diariamente. Entre as principais atrações, destaque para o Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB, o Memorial Minas Gerais, o Museu das Minas e do Metal, o Espaço do Conhecimento da UFMG, a Casa FIAT de Cultura, o Centro de Arte Popular, o Museu Mineiro, entre outras.

LEIA TAMBÉM: Domingo em Belo Horizonte: Aproveite o Centro

Roteiros Pedagógicos

Os roteiros pedagógicos são uma maneira diferente de adquirir o saber, através da vivência dos estudantes sob diferentes contextos culturais e socioeconômicos. Como uma extensão da sala de aula, o Forma Conhecer é uma porta de entrada para os estudantes entenderem a importância de aplicar o conhecimento de forma prática, aprimorando um olhar crítico diante de novas realidades.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.