Conecte-se conosco

7 Pecados

Preguiça: pecado em forma de praia

Desfrute sem culpa do pecado da preguiça em meio à natureza.

Publicado

em

Foto: Freepik

Deus ajuda quem cedo madruga! Não existe um brasileiro no mundo que nunca escutou esse ditado alguma vez na vida. E uma coisa que nós brasileiros entendemos bem é de trabalho. Somos esforçados, dedicados e buscamos sempre o nosso melhor no cumprimento das obrigações.

Contudo, chega um momento em que, obrigatoriamente, o corpo sente e necessitamos dar aquela freada. O raciocínio se torna lento e as noites de sono parecem não ser suficientes para nos livrar da fadiga.

Sendo assim, o ideal é que nosso corpo não seja levado ao extremo. Então, em alguns momentos, torna-se crucial que deixemos as obrigações de lado para tirar um tempinho e curtir aquela preguiça.

LEIA TAMBÉM: Minas Gerais, um país a ser visitado dentro do Brasil

Praia da Preguiça

Dessa forma, quem poderia imaginar que, entre tantas praias pelo litoral brasileiro, encontramos um lugar que nos livra da culpa de desfrutar desse pecado capital? Isso mesmo meu caro leitor! Localizada em Paraty, no Rio de Janeiro, com águas mornas e calmas está a Praia da Preguiça.

Entretanto, a Praia da Preguiça não possui um comércio próprio e, portanto, você deve levar comida e bebida. Para acessar a praia, é necessário contratar um barco privativo. Dessa maneira, isso contribui para que a praia tenha pouco movimento e quase nenhum barulho, a não ser o da própria natureza. Seus moradores são exigentes com os visitantes, portanto, os frequentadores devem retornar com o seu lixo e não promover algazarras.

LEIA TAMBÉM: O Turista Secreto estreia em Nova York

A Praia da Preguiça possui uma faixa de areia limpa e clara, cercada de mata atlântica, com águas transparentes. Definitivamente, um lugar para relaxar, contemplar a belíssima paisagem e deixar a preguiça tomar conta, porém, com o nobre objetivo de desanuviar a mente e recuperar as energias.

LEIA TAMBÉM: Os 7 Pecados (e suas virtudes) no Turismo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.