Conecte-se conosco

Turista Secreto

O Turista Secreto estreia em Nova York: passeios encantam mas metrô decepciona

Conheça a primeira avaliação de destino anônima do Turista Secreto do Portal Uai Turismo

Publicado

em

Vista aérea da cidade de Nova York
Vista aérea de um dos observatórios de Nova York. (Foto: acervo Uai Turismo)

“I’m leavin’ today. I want to be a part of it. New York, New York”! Quem não quer fazer parte disto, não é? Com a música mais famosa da cidade, lançada por Lisa Minnelli e Frank Sinatra, realizo a primeira avaliação de destino. Muito prazer! Sou o Turista Secreto do Portal Uai Turismo, e a nossa estreia é em um dos destinos mais visitados e desejados do mundo: Nova York.  De agora em diante vou viajar e conhecer destinos e empreendimentos anonimamente. Isso para apresentar a você a realidade de um turista comum, e avaliar cada detalhe, a fim de te ajudar a se preparar para a sua próxima viagem!

Cada viajante tem a sua cidade preferida para colocar no pódio, e esta é uma tarefa muito difícil. Escolher um destino como o melhor, tem muito a ver com o momento individual de cada pessoa, bem como com o seu estado de espírito, suas memórias, seus sonhos, experiências, filmes, músicas e tantas outras motivações internas que nos levam a escolher um destino. E com certeza para muitos, Nova York é a soma de tudo isto. Ela continua sendo amada e desejada por milhões de pessoas.

LEIA TAMBÉM: Parques da Universal anunciam The Last Of Us como atração do Halloween Horror Nights

As primeiras preocupações rumo à Nova York

Confesso que saí com certa preocupação do Brasil depois de ler reportagens de que Nova York estava infestada de ratos. Me recomendaram também, cuidado com batedores de carteiras. Por isso, eu pensei antes de chegar: Nova York não será mais a mesma que eu conheço.

Entretanto, chegando lá eu vi apenas um rato. Ele andava solitário pelos trilhos do metrô. Se a cidade passou por uma invasão deles recentemente, e eu até acredito nisto, eles desapareceram! Ou descobriram que o turista secreto estava indo lá. O fato é que a prefeitura da cidade tomou algumas atitudes para combatê-los, entre elas a mudança de horários nas coletas de lixo, evitando a exposição a longo prazo. E tem dado certo!

LEIA TAMBÉM: Em Julho, Festival de Inverno de Ouro Preto

Apesar de não ter visto qualquer tipo de violência, estamos falando de uma metrópole de 8,8 milhões de habitantes e com pessoas de todas as regiões do planeta. Depois da pandemia segundo relatórios, houve um aumento nos índices de violência de 42,7%. Como nós brasileiros somos experientes neste assunto, o melhor é a precaução. Mas é bom ressaltarmos que poucas cidades no mundo tem um contingente policial tão grande quanto Manhattan. Atualmente, a Polícia de NYC tem 4.800 policiais, e que como costuma-se dizer, eles “brotam” para qualquer eventualidade. Surgem do nada e em questão de segundos, com suas dezenas de carros e suas sirenes superdimensionadas, resolvem o problema. Mas como em qualquer cidade grande no mundo, fique atento a seus objetos e onde andar.

Uma cidade cosmopolita e seus preços elevados

Nova York continua sendo o lugar de tudo e de todos. Somente em 2022 recebeu 56,5 milhões de turistas. Faça a conta de quantos turistas por dia!  Imagine também que a indústria do turismo na cidade tenha 410 mil postos de trabalho, ou seja, maior que a população de inúmeras cidades medianas brasileiras. Apesar de tantos hotéis e muita competitividade, as diárias permanecem elevadas. Isso se dá justamente pela alta ocupação dos meios de hospedagem. Recentemente o CEO do NYC Tourism + Conventions, entidade responsável pelo marketing do destino e captação de eventos, Fred Dixon, afirmou que a ocupação dos hotéis em 2022 foi de 90%. Destes, 520.000 brasileiros estiveram lá no ano passado.

Atrelada a estas elevadas diárias, principalmente para o desvalorizado Real brasileiro, considere ainda pagar a taxa de resort na maioria dos hotéis. Em média US$ 40 a US$ 45 por diária. É verdade, já foi mais barato visitar Nova York! Inflação, diárias dos hotéis elevadas, e até a gorjeta de serviços que antes iniciava com 15%, hoje em muitos lugares já chegam com a “tip” mínima de 20%. Enfim, Nova York está mais cara para nós brasileiros. Entretanto, é importante dizer que investimento ruim é quando você gasta em algo que não irá superar suas expectativas. E com certeza Nova York tem o poder de superar as mais altas. 

Quanto tempo ficar em Nova York?

Considerando todo o gasto que você terá da viagem, separe logo 10 dias se puder. Com menos tempo do que isto, até dá para aproveitar Nova York, mas estes 10 dias te permitirão conhecer os principais atrativos da cidade e os bairros sem desespero. Raramente reservamos um tempo para viver a cidade como fazem seus habitantes. E acredite, uma das experiências mais legais em Nova York é exatamente passear por bairros não tão turísticos, ou andar pelas 1ª, 2ª e 3ª avenidas do Upper East Side e suas ruas mais residenciais. Outro programa bem novaiorquino é fazer um piquenique no Central Park, caso sua viagem seja entre a primavera e o outono.

LEIA TAMBÉM: Kayak lança nova ferramenta de planejamento de viagens

Não deixe de tomar um drink no fim de tarde em um dos “rooftops” da cidade. Existem boas opções para você contemplar o “buildings skyline’s” como o Serra by Birreria no Eataly, Fornino at Brooklyn Bridge Park, Cantor Roof Garden (Moma) e o 230 5th. Dica de ouro: reserve antes pelos sites para você não ter que ficar em filas, já que geralmente são muito procurados. E se você estiver com crianças, procure saber o horário aberto a menores. Alguns rooftops permitem a entrada somente de adultos. 

Não vá embora de Nova York sem conhecer um dos observatórios (Empire State Building, One World Trade Center, Summit One Vanderbilt, Top of The Rock ou Edge New York) que te dará uma dimensão da magnitude da cidade logo ali a seus pés. Difícil falar qual vale mais a pena, são localizações diferentes da grande Manhattan, mas seja qual for sua escolha, a sensação de fazer parte daquela cidade, mesmo por um curto período, é simplesmente fantástica. Eternamente agradeceremos aos audaciosos engenheiros e arquitetos, bem como aos milhares de operários de inúmeras nacionalidades, que transformaram arranha céus em planos de fundo para nossas fotografias.

Outra dica valiosa é se programar antecipadamente para os jantares. Isto porque, a maioria dos turistas que chegam na cidade pela primeira vez, saem caminhando para achar um local para beberem, comerem e se divertirem. O pensamento geralmente é: “na hora que aparecer um legal, nós entramos”! E de repente, quando você percebe já caminhou 2 horas e não encontrou o que queria. Ou estava fechado, ou não era para o seu bolso, ou estava muito cheio. Desta forma, pesquise antes sobre restaurantes, bares, fast foods e seus horários de funcionamento. Apesar de ser considerada uma cidade que nunca dorme, muitos bares e restaurantes fecham cedo, no máximo 22 horas. Inclusive, alguns fecham às oito da noite. Com certeza vale mais a pena reservar, pegar um taxi (ou metrô) e chegar na hora certa, do que ficar andando sem rumo procurando um lugar para jantar.

LEIA TAMBÉM: Pecado em forma de praia

Transporte em Nova York

Metrô e ônibus são 24 horas, porém diminuem a frequência no período da noite. Infelizmente, o metrô de Nova York está bastante sucateado. Os vagões e estações são sujos e antigos, precisando realmente de melhorias.  Existem algumas estações mais novas, mas a maioria é bem antiga. Inclusive, fique atento durante a noite, pois algumas estações e paradas deixam de operar. Mas ainda assim é possível perambular até tarde na cidade, já que taxi e Uber você encontra aos montes e durante 24 horas, ainda que com preços mais salgados. E atenção, não esqueça a gorjeta!

Resumo do Turista Secreto em Nova York

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.